Quem somos?

O Programa Aprimore STJ é um conjunto de projetos (quatro projetos) que cuida da implantação da gestão por competências no STJ. Esse modelo de gestão contribui para que a área de gestão de pessoas tenha ações cada vez mais estratégicas e alinhadas com os resultados finais da organização.

Gestão por competências para o STJ é metodologia que orienta e metodiza a formulação e a caracterização das competências organizacionais e técnicas. Ou seja, é um processo de alinhamento das pessoas para atingirem as metas e os objetivos da Organização por meio de suas competências. Já, competência é agrupamento de conhecimentos (C), habilidades (H) e atitudes (A) correlacionadas, que afeta parte considerável da atividade de alguém, se relaciona com seu desempenho, pode ser medido segundo padrões preestabelecidos, e pode ser melhorado por meio de treinamento e Desenvolvimento. (Parry, 1996, apud LEME, 2005, p. 17)

Para quê ter um sistema assim?

1. Alinhar as políticas de gestão de pessoas do Tribunal aos novos modelos de gestão pública;
2. Fomentar práticas de gestão de pessoas alinhadas às estratégias do Tribunal;
3. Priorizar práticas de gestão de pessoas que promovam uma cultura de meritocracia, valorização e bem-estar dos servidores;
4. Alinhar o comportamento e o desempenho dos servidores aos objetivos estratégicos do Tribunal, visando à entrega de resultados que agreguem valor para o Tribunal e para os servidores;
5. Contribuir para que os gestores adquiram ferramentas para a melhor gestão do capital humano, principalmente para o desenvolvimento de equipes, visando à efetividade e maior valor nos resultados da unidade;
6. Integrar os subsistemas de gestão de pessoas e suas políticas de agregar, aplicar, desenvolver, monitorar, recompensar e manter pessoas, primando por transparência, eficiência, eficácia, efetividade, impessoalidade e melhoria contínua.

Principais ações

Mapeamento de Atribuições por produtos (MAP) – instrumento que registra os produtos (entregas), atribuições (responsabilidades – atribuições estratégicas para a unidade), competências comportamentais e técnicas que cada unidade do STJ possui. Não é mapeamento de processo, pois não há interesse em se conhecer o fluxo e propor melhorias sobre isso. São coletados dois MAPs: o do gestor e o da unidade;

Ciclo Diagnóstico por Competências – no mês de agosto são abertos os formulários eletrônicos de competências comportamentais e de responsabilidades. As competências técnicas são avaliadas indiretamente por meio das responsabilidades, pois ao registrar o MAP, o gestor indica quais competências técnicas são necessárias para que as atribuições sejam executadas com qualidade;